17 outubro 2017

Happy!! | Quadro Decorativo




"It might seem crazy what I am about to say
Sunshine she's here, you can take a break
I'm a hot air balloon that could go to space
With the air, like I don't care, baby, by the way
 
(Because I'm happy)
Clap along if you feel like a room without a roof
(Because I'm happy)
Clap along if you feel like happiness is the truth
(Because I'm happy)
Clap along if you know what happiness is to you
(Because I'm happy)

Clap along if you feel like that's what you wanna do
Here come bad news, talking this and that (Yeah!)
Well, give me all you got, don't hold it back (Yeah!)
Well, I should probably warn ya, I'll be just fine (Yeah!)
No offense to you, don’t waste your time
Here's why..."
 








 
 
 
*DISPONÍVEL*

10 outubro 2017

It's tea time! | Relógio de cozinha

É a segunda bebida mais consumida no mundo depois da água. 
A história do chá começou na China há mais de cinco mil anos e proliferou para os quatro cantos do mundo.
Reza a história que no ano 2737 a.C., o imperador chinês Shen Nung e a sua corte estariam a fazer uma pausa durante uma viagem e, enquanto esperavam que os criados fervessem água para beber (o imperador era muito higiénico!), algumas folhas de um arbusto terão caído dentro da mesma, produzindo um líquido acastanhado.
O imperador, que também era cientista, ficou com a curiosidade aguçada e resolveu experimentar a bebida, que classificou como muito refrescante.
Assim nasceu o chá, que rapidamente conquistou os habitantes desse país e, mais tarde, o resto do mundo.
 
A partir de 1560 que o chá começa a viajar pelo mundo, conquistando uma multiplicidade de culturas e povos. Apesar de Portugal ter sido o primeiro país europeu a consumir chá (trazido do Oriente pelos seus navegadores!), curiosamente foram os holandeses quem primeiro importou o chá da China. Muito em voga na Holanda, o chá depressa circulou para outros países da Europa Ocidental, mantendo-se, no entanto, uma bebida exclusiva dos mais abastados, devido ao seu elevado preço.
Em 1650, os holandeses levaram o chá para o continente americano, mais precisamente para a sua colónia “New Amsterdam” (actual Nova Iorque).
 

Por incrível que pareça, o chá apenas chega a Inglaterra em 1652 e pela mão da portuguesa Catarina de Bragança.
Filha do Rei D. João IV e da Rainha D. Luísa de Gusmão, a princesa portuguesa casa com o Rei Carlos II e apresenta aos ingleses a sua bebida predileta – o chá – que se torna a bebida mais popular na corte e, mais tarde, no resto da classe alta. A Inglaterra fez a sua primeira encomenda de chá (cerca de 50 kg!) à Companhia da Índia Oriental em 1664.



 
Atualmente, o chá continua a deliciar gerações de povos espalhados por todo o mundo, sendo ainda mais popular do que o café!
 No início do século XX, e com a invenção das saquetas de chá nos Estados Unidos, houve uma “revolução pacífica” na forma como esta infusão era consumida. Porém, alguns adeptos do chá continuaram a preferir a sua preparação com recurso a folhas e ervas… caso dos britânicos que apenas adotaram as saquetas na década de 70!
Com sabores para todos os gostos e benefícios ao nível da saúde e do bem-estar geral de quem bebe, o chá das cinco vai, certamente, continuar a fazer história!

 
 
 

*DISPONÍVEL*

05 outubro 2017

A galinha dos ovos d'oiro | Relógio de cozinha

 
 
Doidas, doidas, andam as galinhas
Para pôr o ovo lá no buraquinho
Raspam, raspam, raspam
P'ra alisar a terra
Picam, picam, picam
Para fazer o ninho
 
 


Arrebita a crista o galo vaidoso
Có-có-ró-có-có
Canta refilão
E todo emproado com ar majestoso
É o comandante deste batalhão.
 
 
 
 

 
*DISPONÍVEL*

24 setembro 2017

Artesanices... | Fátima


Fátima é conhecida igualmente pela enorme variedade de artesanato religioso que por lá se comercializa. Polémicas à parte faz parte do roteiro visitar o comércio local e a pracinha onde abundam os mini quiosques, muito pitorescos, de venda de velas, terços, santos e outras peças alusivas à temática.


 

 


 
 

A variedade é muita. Haja carteira que não falta por onde escolher. Seja lembranças para oferecer a Nossa Senhora, seja lembranças para trazer para casa, como para oferecer aos nossos.

O Terço do Centenário….

Este ano comemora-se o Centenário das Aparições. Data memorável que para sempre ficará na memória dos portugueses e na História do país, porque trouxe o Papa Francisco ao nosso país. Para assinalar este momento, o Santuário criou o Terço do Centenário. Peça única e autenticada pela Casa da Moeda.


 

21 setembro 2017

DMC



Esta é, sem margens para dúvidas, a minha marca de linhas de eleição no que toca a linhas para fazer ponto cruz.
Também uso outras, mas é com esta de facto que consigo os melhores resultados.
São cores bonitas, elegantes, vibrantes que resultam em trabalhos incríveis.
A paleta de cores e texturas é enorme e muito bonita.
São linhas com que é muito fácil de trabalhar, são muito suaves ao toque e resistentes na hora de trabalhar.

 
Nunca experimentei as linhas para a costura, porque ainda não consegui comprá-las, mas tenciono fazê-lo.
E vocês têm uma marca de eleição?

10 setembro 2017

Pelos caminhos de Portugal... | Fátima


Eu gosto muito de passear. Sobretudo, pelo nosso país.
Acho que temos um país lindíssimo, riquíssimo em tradições, que vale muito a pena ficar a conhecer. Sou apologista do vá para fora cá dentro e acho que antes de conhecer o mundo devemos conhecer o nosso país.

E agora perguntam vocês (e bem!) o que é que isso tem a ver com um blogue de artesanato? Pois bem…o artesanato é uma área bastante vasta. Engloba muitos aspectos e variantes e eu decidi alargar o âmbito deste blogue.
Lembrei-me de partilhar por aqui os locais e o artesanato que, por virtude de passeios que vou dando, vou conhecendo por esse país fora. Assim iniciamos hoje uma nova rubrica: Pelos caminhos de Portugal…

Sejam bem-vindos!!

Cá por casa é tradição, uma vez por ano, rumarmos a Fátima, para agradecer. Foi o que aconteceu num domingo destes. Um dia bastante soalheiro, mas também algo ventoso. Ideal para um passeio em família. Ideal para agradecer.


Hoje partilho convosco um roteiro possível e num próximo post será então dedicado ao artesanato típico desta região. J

Roteiro

Fátima é uma bonita cidade portuguesa, do concelho de Ourém, distrito de Leiria. (Re)conhecida pelo turismo religioso que vive em redor do Santuário de Nossa Senhora de Fátima, a cidade acabou por crescer em torno disso. Mas soube ao mesmo tempo evidenciar características próprias. Hoje em dia é uma cidade que vive por si só. Merecedora de uma visita. Até porque está inserida numa região belíssima: a serra de Aire.

Visitar esta cidade implica visitar obrigatoriamente o Santuário de Nossa Senhora de Fátima. No nosso caso isso implica invariavelmente assisitir à Eucarisitia, os momentos de reflexão na Capelinha das Aparições, a visita à nova Basílica, um passeio pelo próprio Santuário…






“O Santuário de Nossa Senhora do Rosário de Fátima dá expressão ao pedido de Nossa Senhora do Rosário, aludido já em 13 de agosto de 1917 e expressamente indicado na aparição de 13 de outubro desse ano a Lúcia de Jesus, Francisco Marto e Jacinta Marto: «Quero dizer-te que façam aqui uma capela em minha honra, que sou a Senhora do Rosário» (Primeira Memória da Irmã Lúcia). A capelinha foi erguida em 1919 no local das aparições de 1917 na Cova da Iria e, desde então, o espaço do Santuário foi sendo edificado, em resposta ao significativo afluxo de peregrinos.”


2017 é o ano especial para o Santuário de Fátima: comemora-se o centenário das aparições de Nossa Senhora aos três pastorinhos: Lúcia, Jacinta e Francisco. Tanto mais que a 13 de Maio recebemos a visita do Papa Francisco não só para celebrar o centenário, como também para canonizar os beatos Jacinta e Francisco.


Toda a história de Fátima gira em torno de três pastorinhos, nascidos no lugar de Aljustrel, a quem Nossa Senhora apareceu, sempre ao dia 13 de cada mês, entre Maio e Outubro de 1917. Crianças oriundas de meios pobres, passavam os dias a tomar conta do pastoreio na serra e em brincadeiras próprias da idade.

Cristãos devotos, rezar o terço e ir à missa fazia parte da rotina das crianças, que viram a sua vida completamente alterada na tarde de 13 de Maio, quando uma senhora envolta numa luz muito brilhante aparece em cima de uma árvore e lhes fala. Seria a primeira das aparições. (mais aqui).

Assim uma visita a Fátima não fica completa sem percorrer o caminho dos Valinhos e visitar o lugar de Aljustrel, terra dos pastorinhos.






Aldeia pitoresca situada à beira da estrada fica a cerca de 2km de Fátima. Para lá chegarmos percorremos o caminho dos Valinhos, onde para além das belíssimas paisagens temos também representada a Via Sacra.











Quanto à aldeia em si vale a pena visitar as casas de Lúcia e Jacinta e Francisco. Conservadas segundo o original é possível ter uma ideia de como eles viviam. Já que por lá continuam os objectos por eles utilizados.
Para nós foi igualmente o recordar a infância, quando também nós comíamos a deliciosa sopa feita em panelas de ferro e dormíamos em cama embutidas na parede.
Bons tempos!! Onde não faltavam as aventuras!!!

Hora da paparoca…

Este ano optamos por experimentar algo diferente.
Uma visita ao site do Trip Advisor e saltou-nos à vista a Taberna do bacalhau. E sem mais demoras deixo-vos um registo fotográfico do motivo pelo qual este restaurante merece uma visita.
Nós vamos regressar! de certeza!!