19 agosto 2017

Happy day!!

No início deste ano criei o projecto Pontinhos mágicos, onde basicamente estipulei um valor por venda que coloco num mealheiro e quando este estiver cheio, abro e com o material que conseguir comprar faço produtos para ofertar a instituições/projectos de solidariedade social (ver mais aqui.)
Foi uma forma que encontrei de ajudar quem mais precisa e dar uma vertente de responsabilidade social a este blogue.
Na altura fiz um post onde inaugurei com pompa e circunstância esta nova fase do blogue.
Mas foi ontem, no regresso a casa depois do trabalho, que tive uma epifania:
já devia ter inaugurado o mealheiro! Estou em falta!
O que acontece é que em 2015 tive algumas vendas, vai daí já deveria haver dinheiro no mealheiro. Assim, hoje tratei de resolver a situação: fui ver quando devia ao mealheiro e tratei de colocar lá o valor.
Para assinalar a ocasião fiz a respetiva reportagem fotográfica que agora partilho…





Aproveito também para deixar o meu AGRADECIMENTO à D. Isilda, à Andreia e ao Pedro, os verdadeiros responsáveis pela inauguração do nosso mealheiro.
MUITO OBRIGADA!!!

13 agosto 2017

Como sustentar este vício?

 
De todas as artes que faço, sem margem para dúvida, que aquela que me fica mais cara é a costura. Quem gosta e se dedica à costura criativa certamente concordará comigo que este pode tornar-se um hobby algo dispendioso.
Tudo porque as retrosarias são verdadeiros paraísos. Visitar uma retrosaria pode ser verdadeiramente problemático. Tudo é bonito (o que dificulta muito a escolha), tudo é ideal para fazer aquela peça tão especial, tudo combina com tudo…
Queremos trazer tudo connosco, porque afinal tudo faz falta.
A variedade e quantidade de materiais disponíveis é tal que a verdade é que costurar pode ser bastante caro.
Quando comecei este blogue criei-o com o objectivo de partilhar aventuras, experiências, de aprender mais sobre o mundo dos lavores. Entretanto, como é óbvio, fui aprendendo novas artes, onde se inclui a costura, e rapidamente percebi que esta arte me podia levar à ruína. Tive de arranjar estratégias para sobreviver. ;-)
Por sugestão de outros comecei então a colocar aqui peças que tinha feito para venda e a alocar os valores que conseguia para a compra de novos materiais.
Mas apesar de não viver da costura, nem dos lavores, não tenho vendas significativas que o sustentem e, tendo outras despesas para fazer face como o meu ordenado, tive de arranjar mais estratégias.
Uma delas foi arranjar um envelope onde ocasionalmente coloco uma notita ou outra que junto e quando tenho uma quantia jeitosa lá vou eu toda contente às compras. Foi assim que comprei esta máquina, por exemplo.
Outra estratégia a que recorro frequentemente são às promoções e descontos. Comprar tecidos em stock off, por exemplo, é uma excelente forma de comprar mais por menos (sendo que isto tem a contrapartida de não comprar os tecidos da coleção em vigor, mas enfim… ).
Sou também bastante receptiva a prendas em forma de material para crafts. ;-)
Assim vou sustentando o meu vício.

E vocês como fazem? Que truques utilizam? Que lojas de material baratinhas recomendam?

06 agosto 2017

New in... 3


As ideias para novos projectos não pára. A necessidade de novos materiais também não.

E as desculpas para visitar uma retrosaria também não acabam. :-) :-)  :-)

 

Aqui ficam mais algumas aquisições…









 

      

29 julho 2017

Da frustração...


De todas as artes que vou fazendo, o ponto cruz é, sem dúvida, aquele que volta e meia lá me traz alguma frustração. Tudo porque, ao contrário do que acontece com a renda, que ao fim de umas horas vemos trabalho feito, no caso do ponto cruz podemos passar uma tarde inteira de volta dele e acontecer isto…
...antes...
 

...depois...
 
Podem não acreditar, mas é verdade: aqui está o trabalho de uma tarde! Ora digam lá se isso não é frustrante?
Quando temos manchas de cor ao fim de algumas horas vemos trabalho feito, agora quando envolve muitas cores...
Já quando estava a fazer este relógio, me tinha apercebido disso e agora com este projecto pude confirmar. Na altura dei por mim a passar uma tarde inteira de volta de UMA simples abelha. Sim, leram bem: uma simples abelha!!
Isto deriva (mais uma vez!!) do meu lado perfeccionista, que me leva a querer fazer sempre tudo o mais perfeito que consigo. Que me leva a “perder” horas nos detalhes. A fazer tudo com cuidado e amor (e a levar muito tempo a concluir um trabalho!!)  :-)
Mas não sei ser de outra forma! Dá-me um prazer imenso entregar um trabalho que eu sei que está o mais perfeito que eu consigo fazer, que foi feito com toda a dedicação (leve o tempo que levar!) e amor. Mas acima de tudo dá-me um imenso gozo ver a satisfação de quem recebe os meus trabalhos. :-) :-) :-)

22 julho 2017

New in... 2

A Riera Alta é uma retrosaria do Porto. Tem coisas lindíssimas. Um verdadeiro paraíso para quem gosta de costurar e uma referência na área para quem é da região do Porto.
Na impossibilidade de me deslocar lá para a conhecer, decidi “conhecer” a loja on-line deles.
E tenho a dizer que gostei muito e que recomendo. Rápidos e eficientes, como se quer.
As minhas aquisições por lá foram…





 
Aproveitando uma promoção (a encomenda já foi feita à bastante tempo!!) que havia comprei este aplicador de molas Kam, porque achei que iria valorizar os meus trabalhos.








 
Mas confesso que até hoje ainda não me consegui entender bem com ele. Já vi bastantes filmes do Youtube e segui sempre os seus passos, mas até hoje nada… nunca me saíram bem… L
E como estou cansada de estragar material, lembrei-me de vos pedir ajuda:
que truque usam para colocar estas molas?

15 julho 2017

New in...


O mundo dos tecidos e dos materiais de costura é mesmo isso: um verdadeiro mundo, onde facilmente nos podemos perder (e esvaziar a carteira J ).
Actualmente, na minha cidade (com muita pena minha!) não existe uma retrosaria de costura criativa. Pelo que agora quando preciso de material tenho de recorrer a outros lados.
Há tempos fui visitar a Bolo de Pano, Retrosaria. Fica no Centro Comercial Allegro, em Alfragide (perto do IKEA de Alfragide) e apesar do seu espaço reduzido tem uma oferta de materiais de costura bastante grande (para além de outro tipo de materiais como lãs, linhas, botões, maquinas de costura, workshops, etc).
Desta minha visita resultaram as seguintes aquisições…
 




 
 
 

09 julho 2017

dos regressos felizes...

 
Depois de um interregno forçado por motivos familiares, domingo passado foi dia de regressos felizes. :-)
Foi dia de "tirar o pó" às linhas e agulhas. De me voltar a perder nas contagens das cruzinhas.
De passar a tarde no sofá rodeada de uma arco-íris de linhas. De dar mais um avanço neste projecto.

Foi dia de voltar ao meu anti-stress.
Só tive pena do calor que se fazia sentir, que me punha as mãos a transpirar constantemente e a visitar o WC frequentemente. É o mal de se fazer ponto cruz no verão (se bem que no inverno as mãos arrefecem e torna-se igualmente difícil!).
Vida de artesã é difícil!! :-D :-D :-D









 
E com isto regressámos também ao blogue! :-)

01 julho 2017

FIA 2017

Conforme vem sendo hábito, na passada segunda-feira lá rumei à FIA 2017.
Este ano a FIA comemora 30 anos e têm, por isso, um cartaz de iniciativas bastante diversificado.
O país convidado é a China e assim ficamos a conhecer um pouco do artesanato de porcelana, papel, seda e bordados que por lá há.
O município português convidado é Pampilhosa da Serra (e no Facebook da FIA há inclusivé passatempos a decorrer). Este é um município que sempre apostou bastante na sua presença na FIA e este ano sendo o município convidado, excederam-se. :-)
No dia em que eu fui está a decorrer um workshop sobre um doce típico desta zona: a filhó espichada. No fim tivemos oportunidade de provar e é verdadeiramente deliciosa.
Como referi, este ano a FIA comemora 30 anos e devo dizer que, ao contrário do ano passado, houve claramente melhorias, que beneficiaram muito a iniciativa.
Achei que este ano está melhor organizada. Não se vê tantas falhas de stands. Os corredores estão mais limpos (o ano passado estava sempre a esbarrar nos artigos expostos que estavam no chão).
Curioso foi também visitar a exposição do IEFP que nos dá uma retrospectiva dos principais temas de exposição e encontrar por lá coisas que lembramos da nossa infância.
Deixo-vos agora algumas fotos, poucas que o objectivo era visitar e usufruir ao máximo da exposição e esse foi a minha principal preocupação.




 

 
E vocês já visitaram?