16 agosto 2017

Como sustentar este vício?

De todas as artes que faço, sem margem para dúvida, que aquela que me fica mais cara é a costura. Quem gosta e se dedica à costura criativa certamente concordará comigo que este pode tornar-se um hobby algo dispendioso.
Tudo porque as retrosarias são verdadeiros paraísos. Visitar uma retrosaria pode ser verdadeiramente problemático. Tudo é bonito (o que dificulta muito a escolha!), tudo é ideal para fazer aquela peça tão especial, tudo combina com tudo…
Queremos trazer tudo connosco, porque afinal tudo faz falta.
A variedade e quantidade de materiais disponíveis é tal que a verdade é que costurar pode ser bastante caro.
Quando comecei este blogue criei-o com o objetivo de partilhar aventuras, experiências, de aprender mais sobre o mundo dos lavores. Entretanto, como é óbvio, fui aprendendo novas artes, onde se inclui a costura, e rapidamente percebi que esta arte me podia levar à ruína. Tive de arranjar estratégias para sobreviver. ;-)
Por sugestão de outros comecei então a colocar aqui peças que tinha feito para venda e a alocar os valores que conseguia para a compra de novos materiais.
Mas apesar de não viver da costura, nem dos lavores, não tenho vendas significativas que o sustentem e, tendo outras despesas para fazer face como o meu ordenado, tive de arranjar mais estratégias.
Uma delas foi arranjar um envelope onde ocasionalmente coloco uma notita ou outra que junto e quando tenho uma quantia jeitosa lá vou eu toda contente às compras.
Outra estratégia a que recorro frequentemente são às promoções e descontos. Comprar tecidos em stock off, por exemplo, é uma excelente forma de comprar mais por menos (sendo que isto tem a contrapartida de não comprar os tecidos da coleção em vigor, mas enfim… ).
Sou também bastante recetiva a prendas em forma de material para crafts. ;-)
Assim vou sustentando o meu vício.

E vocês como fazem? Que truques utilizam? Que lojas de material baratinhas recomendam?

02 agosto 2017

Da frustração...


De todas as artes que vou fazendo, o ponto cruz é, sem dúvida, aquele que volta e meia lá me traz alguma frustração. Tudo porque, ao contrário do que acontece com a renda, que ao fim de umas horas vemos trabalho feito, no caso do ponto cruz podemos passar uma tarde inteira de volta dele e acontecer isto…
...antes...
 

...depois...
 
Podem não acreditar, mas é verdade: aqui está o trabalho de uma tarde! Ora digam lá se isso não é frustrante?
Quando temos manchas de cor ao fim de algumas horas vemos trabalho feito, agora quando envolve muitas cores...
Já quando estava a fazer este relógio, me tinha apercebido disso e agora com este projecto pude confirmar. Na altura dei por mim a passar uma tarde inteira de volta de UMA simples abelha. Sim, leram bem: uma simples abelha!!
Isto deriva (mais uma vez!!) do meu lado perfeccionista, que me leva a querer fazer sempre tudo o mais perfeito que consigo. Que me leva a “perder” horas nos detalhes. A fazer tudo com cuidado e amor (e a levar muito tempo a concluir um trabalho!!)  :-)
Mas não sei ser de outra forma! Dá-me um prazer imenso entregar um trabalho que eu sei que está o mais perfeito que eu consigo fazer, que foi feito com toda a dedicação (leve o tempo que levar!) e amor. Mas acima de tudo dá-me um imenso gozo ver a satisfação de quem recebe os meus trabalhos. :-) :-) :-)