18 fevereiro 2019

Miau, miau... | Porta-moedas


 
"Gato escondido com rabo de fora."
 
Provérbio popular
 
Sempre que olho para este porta-moedas lembro-me deste provérbio.
Não sei explicar porquê, mas lembro…
A compra do tecido foi uma paixão imediata.
Adorei o tecido!
E adorei a combinação com o tecido vermelho! 
A compra do fecho foi uma necessidade: havia uma encomenda para fazer.
E porque há coincidências engraçadas e são os detalhes que fazem toda a diferença, um porta-moedas com tecido de gatinhos e um fecho com a cabeça de Rato Mickey pareceu-me que era uma combinação vencedora.
E correu bem!!





 
**INDISPONÍVEL**
 
**PEÇA ÚNICA**

14 fevereiro 2019

Details, details... | Capa de agenda A5



"São os detalhes que fazem toda a diferença."

Não sei quem disse esta frase, mas tinha toda a razão!
Se pensarmos em nós, são as nossas características, particularidades que nos definem e nos diferenciam dos outros.
Que nos ligam ou afastam de pessoas, situações, objectos...
Todos somos nós somos únicos!




Nas artes são os detalhes que dão corpo à peça.
São os detalhes que diferenciam os criadores.
São os detalhes que marcam a peça e a tornam única.


São os detalhes, que tantas vezes, nos consomem horas, mas que nos dão pica para criar uma peça.
São os detalhes que muitas vezes inspiram uma peça.
São os detalhes que valem a pena todo o esforço.

**DISPONÍVEL**

**PEÇA ÚNICA**

11 fevereiro 2019

Music star... | Porta-moedas


 
"Grão a grão, enche a galinha o papo."
Provérbio popular
 
Sempre ouvi dizer que no Poupar é que está o ganho!
Que devemos viver dentro das nossas possibilidades e que é importante poupar para o futuro, porque não sabemos o dia de amanhã.



É certo que nos dias que correm é um pouco complicado. A vida está cara!
Mas é sempre possível.
E uma boa forma de começar a fazê-lo é valorizar as pequenas moedas que todos os dias nos chegam às mãos.
Porque apesar de parecerem pequenas e insignificantes, todas juntas ao fim de um ano, por exemplo, originam uma boa quantia. É só preciso sermos cuidadosos e juntá-las num mealheiro, por exemplo.
No dia-a-dia, para elas não se perderam nas malas das mulheres podemos sempre recorrer a um porta-moedas, que se for giro é tudo dji bom! :-)
 
 
**DISPONÍVEL**
 
**PEÇA ÚNICA**

10 fevereiro 2019

L'amour...


"Por mais duro que alguém seja, derreterá no fogo do amor.
Se não derreter é porque o fogo não é bastante forte."
Gandhi

E assim do nada chegamos à semana mais romântica do ano!!
Por todo o lado, o amor invade as nossas vidas, a nossa rotina, o nosso dia-a-dia...
Seja como for é O dia de celebrar o amor.
O amor que une um casal, o amor que nutrimos pelos nossos, pelos amigos, pelos animais, pela vida…
É acima de tudo o dia do amor e como tal deve ser celebrado e cada vez mais integrado na nossa vida e nas nossas relações, seja com os outros ou connosco mesmos.
 
E sabiam que existem várias lendas acerca de São Valentim, o padroeiro do amor? :-)
 
A Lenda da filha do juiz
 
Conta-se que no Séc. III vivia em Roma o sacerdote chamado Valentim. Cláudio II, então imperador, ao aperceber-se da influência do cristão manda prendê-lo.
Valentim acaba à guarda de um juiz de nome Astério, que tinha uma filha cega. Este, ao ver a fé inabalável do santo, diz-lhe que se ele conseguir restituir a visão à filha acreditará que Jesus é o caminho certo. Valentim põe então as mãos sobre os olhos dela e reza. A jovem recupera imediatamente a visão e Astério e os seus convertem-se. Mas o Imperador Cláudio não cede e acaba por os condenar a todos à morte. Valentim é então decapitado.
Algumas versões desta lenda alegam ainda que, após recuperar a visão, a filha de Astério se teria apaixonado por Valentim e ele por ela. No entanto, a história acaba da mesma forma, com a morte de Valentim.
A Lenda dos casamentos proibidos
 
Segundo esta lenda, o mesmo imperador romano, Cláudio II, teria proibido os casamentos para assim poder angariar mais soldados para a frente de batalha. Dizia ele que o casamento e as mulheres distraiam os soldados. No entanto o sacerdote Valentim, que pregava a importância do amor, continuou a casar os apaixonados em segredo mesmo contra a vontade de Cláudio. Acabou por ser descoberto, preso, torturado e condenado à morte a 14 de Fevereiro de 268.
A Lenda dos amantes
 
Conta esta lenda que Valentim foi o primeiro a celebrar o casamento entre um legionário pagão e uma mulher cristã e por isso se tornou padroeiro dos apaixonados. O casamento não era visto com bons olhos pela família dela mas, após descobrirem que sofria de uma grave doença, acabaram por ceder. O jovem apaixonado pediu ao santo para não mais ter de se separar da sua amada e Valentim baptizou-o e casou-os no quarto onde padecia a doente. Os jovens acabaram por morrer juntos.
A Lenda da reconciliação
 
Narra esta lenda que Valentim, ao ver dois jovens namorados brigar, fez voar em torno deles vários casais de pombos e os jovens logo se reconciliaram. Daí supostamente deriva a expressão “pombinhos”. Uma outra versão desta lenda fala não de pombos, mas de uma rosa que o santo teria posto nas mãos dos jovens e imediatamente os reconciliou.
A Hipótese dos Lupercales
 
Muitos ligam também as tradições de São Valentim ao festival dos Lupercales, que se realizava na antiga Roma a 15 de Fevereiro. O nome Lupercales deriva das palavras Lupus (lobo, animal que simbolicamente representava o deus Faunos) e Hircus (cabra, o animal impuro) e o festival representava a passagem dos jovens à idade adulta. Nele, os jovens corriam nus pelas ruas, chicoteando as mulheres que encontravam à frente para desta forma lhes garantir a fertilidade. Corriam também nus pela floresta, onde deviam sobreviver por determinado tempo para provar as suas capacidades. 
 Devido ao cristianismo emergente da época esta festa acabou por ser considerada demasiado “obscena” e foi então substituída pela de São Valentim e alterada para o dia da morte do mártir, a 14 de Fevereiro.
No entanto a igreja viu-se a braços com uma luta quando, durante a idade média, as pessoas tentavam criar as suas próprias tradições de festa derivadas dos Lupercales. Neles celebrava-se a fertilidade e a renovação dos solos. As pessoas saiam para as ruas e as regras morais da igreja deixavam de lhes importar e eram quebradas.
 
 

04 fevereiro 2019

Pink lady | Porta-moedas





"Roses are red,
violets are blue,
Honey is sweet,
and so are you"

Se há cor associada ao universo feminino é cor-de-rosa.
Cor, por excelência, do romantismo, ternura, suavidade, delicadeza.
Mas também é a cor das emoções, dos afetos, da compreensão, do companheirismo e do romance.
Se juntarmos rosa e flores temos o cenário feminino perfeito. :-)




**DISPONIVEL**

**PEÇA ÚNICA**

03 fevereiro 2019

A pop of colour... | Capa de agenda A5



 
"A côr do meu batuque
Tem o toque, tem o som
Da minha voz
Vermelho, vermelhaço
Vermelhusco, vermelhante
Vermelhão...
 
O velho comunista se aliançou
Ao rubro do rubor do meu amor
O brilho do meu canto tem o tom
E a expressão da minha côr
Vermelho!(...)"
 
Vermelho, Fafá de Belém
 
Vermelho…
Cor da paixão, da força, da coragem, do amor, do perigo…
Vermelho é fogo, sangue, calor, romance, juventude, beleza, emoção, criatividade…
Um toque de cor, que faz toda a diferença em cores neutras.
 



Azul escuro, branco e vermelho é uma combinação clássica e que resulta sempre muito bem.
Elegância, simplicidade e arrojo…
A prova em como muitas vezes para darmos interesse a um conjunto mais neutro, basta apostar em acessórios mais criativos, arrojados, contrastantes.
E logo a peça ou um look, por exemplo, ganham logo mais interesse.
O dia ganha logo um novo ânimo… :-)
 
 
 

 

 

 





 
E vocês também gostam de apimentar a vossa vida?
 
**INDISPONÍVEL**
 
**PEÇA ÚNICA**

02 fevereiro 2019

Trio maravilha... | Porta-moedas

 
Porta-moedas - bolsinha própria para trazer dinheiro em moedas.
in Priberam
 
Se tivesse de eleger um produto-sucesso deste Natal, seria sem dúvida o porta-moedas gorducho. :-)
A mala de uma mulher é, como todos nós sabemos, um poço se fundo.
Onde encontramos tudo.
Pelo que termos um local onde guardar as moedas e miudezas que tanto precisamos e que nunca encontramos é importantíssimo.
E se ele for giro e fashion tanto melhor :-)
O porta-moedas gorducho é o local ideal e neste Natal houve uns quantos que conheceram casas novas. ;-)


Neste caso houve mesmo um processo de clonagem. :-D :-D


**INDISPONÍVEL**
 
**PEÇA ÚNICA**