08 abril 2018

Pelos caminhos de Portugal... | Monsanto

Monsanto recebe-nos assim...

Agora que a Primavera chegou...
Agora que os dias são maiores...
Agora que os passeios começam a apetecer...
Agora que as férias começam a ser uma "preocupação"...
Trago-vos um destino que vale (muito!) a pena conhecer:
Monsanto, a aldeia mais portuguesa de Portugal.
No concelho de Idanha-a-Nova, entre o sopé da Serra da Gardunha e o rio Ponsul, Monsanto surge numa alta penedia.
Rica em história, tradições, gastronomia, Monsanto oferece das paisagens humanas mais bonitas que se podem encontrar em Portugal.
O aglomerado vai-se desenvolvendo sobre a encosta do cabeço aproveitando pedregulhos de granito para as paredes das habitações e em alguns casos um único bloco de pedra forma o telhado, razão por que aqui se diz que as casas são "de uma só telha".

Observem bem o telhado da casa... :-)
 
Palacetes, portais manuelinos, a casa onde viveu e exerceu clínica o médico e escritor Fernando Namora, que aqui se inspirou para o seu romance Retalhos da Vida de um Médico, acrescentam interesse ao passeio pelas ruelas íngremes.



 
De entre o casario destaca-se a Torre de Lucano (séc. XIV) encimada por um galo de prata, troféu atribuído a Monsanto num concurso realizado em 1938 quando foi considerada a aldeia mais portuguesa de Portugal,

A difícil subida até ao alto do castelo é largamente compensada pelas belas vistas a que temos e que são imagem de marca da região.

 
Passear por Monsanto é passear por um intrincado puzzle de ruas e ruelas, onde cada canto conta uma história.
Rodeados de casas típicas e gentes acolhedoras, somos convidados a "viver" o tempo de antigamente. Em cada esquina uma história para aprender, uma flor para cheirar, um momento para parar, respirar o ar puro e admirar o que nos rodeia.



 

 

o nosso novo amiguinho!!
 
 Sem dúvida que vale a (mesmo!) a pena visitar Monsanto!!!

 

Sem comentários:

Enviar um comentário